Resposta a incidentes: o que é preciso saber para apoiar iniciativas de proteção à empresa

Para uma empresa se proteger contra ataques cibernéticos, é preciso ter uma política de segurança robusta, investimentos em recursos tecnológicos e mão de obra especializada, além de garantir que os colaboradores sejam treinados para a conscientização de segurança. 

Mas, para que toda essa estrutura de proteção aconteça, é fundamental o apoio de todos os colaboradores. Afinal, são eles que lidam com os processos diariamente, gerenciam informações e têm acesso a senhas e dados confidenciais.  

Estima-se que, mesmo com a relevância que a segurança da informação ganhou nos últimos anos, 90% dos colaboradores ainda são os causadores de riscos à cibersegurança das empresas.  
De acordo com o Estudo de Segurança Global do Instituto Ponemon, 63% das pequenas e médias empresas sofreram algum incidente com vazamento de dados, em 2019.  

Já os danos causados às empresas por violações de dados, no mesmo ano, chegaram a US$ 1,41 milhão, de acordo com uma Pesquisa de Economia da Segurança de TI.  

O levantamento da National Cyber Security Alliance, de 2019, mostrou que os ataques cibernéticos podem causar danos ainda piores: 25% das pequenas empresas declararam falência após os ataques de hackers.  

Com todos esses dados, não restam dúvidas de que é preciso que todos os funcionários estejam cientes de seu papel para uma rápida ação de resposta a incidentes.  

A seguir, vamos abordar o que os colaboradores precisam saber para apoiar iniciativas de proteção a empresa.  

A proteção cibernética exige mudanças corporativas 

O alto número de ataques cibernéticos e seus danos às organizações comprovam a urgência de as empresas investirem em capacitação de colaboradores e em mudanças na cultura de cibersegurança.  

Para evitar que esse tipo de incidente aconteça, as empresas devem criar políticas de segurança e treinamentos para a conscientização dos colaboradores sobre as melhores práticas de proteção e uso de dados, além de analisar a implantação de novas soluções e estratégias para reforçar os processos de segurança digital.   

Além disso, os colaboradores também devem:  

Entender a importância da segurança de dados 

Os colaboradores precisam entender os riscos e consequências da má utilização de dados e como um ataque ou roubo de dados pode impactar negativamente toda a empresa.  
A postura de segurança da informação de uma companhia é importante para todos os funcionários, desde o CEO até o estagiário. Todos têm acesso às mesmas redes e sistemas e, portanto, estão sujeitos aos mesmos riscos. 

No caso de executivos C-level, os riscos são ainda maiores, já que possuem acessos a dados sigilosos.  

Ao compreenderem a importância da segurança de dados, os funcionários podem trabalhar em conjunto para implementar medidas eficazes de defesa, como o uso de soluções tecnológicas de segurança, que analisam, monitoram e ajudam a corrigir falhas no sistema, mantendo-o funcionando de modo contínuo e ininterrupto.  

Conhecer o plano de resposta a incidentes

Conhecer todo o processo de resposta a incidentes, como ele funciona e os resultados esperados também é fundamental.  

É importante que os colaboradores compreendam as seis principais etapas do plano, que envolve:  

Preparação 

A primeira etapa do plano é fundamentá-lo com as funções e responsabilidades de todos bem detalhadas.  

Nesta fase, são realizados simulados de invasões e violações de dados para garantir que todos estejam cumprindo seu papel dentro do processo.  

Identificação de ameaças 

A segunda etapa do processo define se a empresa realmente foi violada. Algumas perguntas devem ser feitas para certificar-se de que houve um ataque, qual a sua origem, quando ocorreu, quem o detectou, entre outras questões específicas. 

As respostas destas perguntas irão ajudar a definir a melhor resposta ao incidente e evitar que ele ocorra novamente.   

Contenção da violação 

Após identificar um ataque, é importante contê-lo para que ele não se propague e cause mais danos ao sistema.  

Nesta etapa, os dispositivos afetados devem ser desconectados da Internet, credenciais de acesso de usuários e administrativos devem ser alteradas e protocolos de acessos devem ser revistos.  

Um sistema de backup pode ser um grande aliado para restaurar as operações e evitar maiores danos ao negócio.  

Erradicação 

Após a contenção do incidente, a violação deve ser eliminada. Desta forma, todos os sistemas devem ser corrigidos e atualizações devem ser aplicadas minuciosamente para evitar que ainda existam ameaças nos sistemas.  

Recuperação dos sistemas 

A penúltima fase do plano de resposta a incidentes deve restaurar todos os sistemas e dispositivos afetados para que a normalidade possa ser restabelecida e os negócios possam continuar normalmente.  

Análise do incidente 

Por fim, o plano de resposta a incidentes também exige uma avaliação da postura da empresa perante a violação para que os processos possam ser aprimorados.  

A última etapa avalia o que deu certo ou possíveis falhas no processo e como os membros da equipe atuaram diante do incidente.  
 

Ter ciência das políticas de segurança da informação  
 

A criação de políticas de segurança também tem um papel fundamental para as organizações protegerem suas informações digitais. Elas devem instruir os funcionários com:  

  • Diretrizes para definições de processos, como: backup, senhas e controles; 
  • Quais permissões e proibições os usuários devem seguir;  
  • Quais são as responsabilidades de cada colaborador em relação à proteção de dados;  
  • Planos para mitigação e contenção de riscos;  

 
Para que as políticas de segurança sejam implantadas corretamente, é importante que todos os colaboradores estejam cientes de como elas podem contribuir para toda a organização.  

Confira o e-book “Protegendo Informações Digitais”, produzido pela ISH, e saiba também como fazer um checklist para a proteção cibernética da sua empresa.  

 
A segurança cibernética deve ser uma preocupação de todos os colaboradores

Os colaboradores precisam estar atentos às ameaças enfrentadas pelas organizações em geral. Segundo a pesquisa Global Incident Response Threat Report, os ataques cibernéticos são uma das principais preocupações dos profissionais de TI. 40% deles afirmam que as ameaças representam um risco para a continuidade dos negócios. 

Em nosso “Manual de Cibersegurança no dia a dia”, listamos quais medidas tomar para uma postura eficiente de segurança.  

São ações que atuam principalmente no controle de exposição, práticas de autenticação e acesso, uso de dispositivos móveis e políticas internas da empresa que devem ser considerados quando o assunto é cibersegurança. 

É fundamental que todos os colaboradores estejam cientes da postura de segurança da informação de sua companhia e do que podem fazer para apoiar a equipe de resposta a incidentes. 

Ao ter uma melhor compreensão do processo de resposta ao incidente, todos os colaboradores podem ajudar a assegurar que os dados da empresa sejam protegidos e, caso um incidente aconteça, que os sistemas críticos estejam de volta e funcionando o mais rápido possível.  

A ISH pode ajudar a sua empresa com as melhores soluções de cibersegurança. Entre em contato conosco agora mesmo e saiba mais sobre como prevenir ataques cibernéticos.  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.