Os 7 principais riscos de gerenciamento de identidade e acesso à rede

Ao avaliar o gerenciamento de identidade e acesso à rede, as empresas passam a ter benefícios que superam em muito qualquer tipo de desvantagem. 

Entretanto, as organizações devem considerar alguns riscos de gerenciamento de identidade e acesso à rede ao projetar a implementação de segurança cibernética a fim de garantir uma manutenção contínua de proteção. 

Separamos alguns dos riscos mais comuns associados às implantações de gerenciamento de identidade e acesso que as empresas precisam ficar atentas.

Os 7 principais riscos de gerenciamento de identidade e acesso

1. O gerenciamento centralizado cria um alvo único e centralizado

Conforme as empresas começam a centralizar o gerenciamento de nomes de usuário e mecanismos de autenticação, o processo cria um alvo de segurança muito maior e centralizado. 

Portanto, um cuidado maior deve ser tomado para proteger adequadamente uma plataforma de gerenciamento de identidade e acesso, usando várias ferramentas de segurança baseadas em rede.

2. Gerenciamento impróprio de rede / aplicativo / acesso a dados

Outro erro potencial é o gerenciamento do controle de acesso baseado em função (role-based access control – RBAC ) dentro de uma organização. 

O RBAC é um método usado por administradores para agrupar vários usuários em grupos com base na necessidade de acessar recursos semelhantes. Embora o uso de grupos de acesso seja uma ótima maneira de reduzir o número de políticas de acesso que precisam ser criadas e mantidas, muitas empresas agrupam muitos usuários em um único grupo. 

O resultado é que alguns usuários obtêm acesso a aplicativos e serviços de que não precisam. Na melhor das hipóteses, isso leva a uma situação em que o acesso do usuário não é tão restrito quanto poderia ser. 

Na pior das hipóteses, isso pode resultar em usuários com separação inadequada de funções, o que pode levar a violações de conformidade de controle de acesso.

3. Quem forma regras de acesso? TI vs. líderes de negócios

Embora o departamento de TI possa ter uma compreensão bastante sólida sobre o tipo de acesso de que os usuários, grupos e departamentos precisam, é altamente recomendável obter informações dos líderes de negócios ou departamentos para criar a política. 

Isso pode ajudar a identificar quem precisa de acesso a quais aplicativos e dados corporativos.

4. Automação de processo insuficiente

Quando se trata de gerenciamento de acesso, há muitas partes móveis. Se os processos repetitivos não forem automatizados, isso pode levar a uma situação em que os administradores negligenciam a execução de certos processos em um período de tempo razoável. 

A exclusão de usuários é um exemplo perfeito de onde a falta de automação pode levar a ameaças de segurança para funcionários que deixam a empresa, mas sua autenticação e acesso aos recursos corporativos permanecem em vigor.

5. Falha ao planejar a escalabilidade

Conforme os negócios crescem e as necessidades de tecnologia mudam, as plataformas de gerenciamento de identidade e acesso devem ser dimensionadas para atender às novas demandas. 

Em certas situações, produtos ou metodologias de implantação podem limitar o nível no qual uma plataforma pode ser escalada.

6. Falta de treinamento gerencial

O gerenciamento de identidade e acesso pode consistir em um conjunto complexo de processos. 

Adicione a isso o fato de que a automação simplifica os processos repetitivos e reduz a quantidade de sobrecarga do administrador necessária para executar tarefas comuns de gerenciamento de identidade e acesso. 

Por causa das complexidades e complicações inerentes à automação, os administradores devem ser treinados para configurar as etapas de automação e garantir que estejam funcionando corretamente. 

Quaisquer erros nos processos de automação podem impactar negativamente um grande número de usuários.

7. Falta de auditoria no gerenciamento de acesso 

À medida que os negócios se voltam para novas metas e objetivos, os funcionários geralmente exigem modificações nas regras de acesso. 

Embora adicionar uma política que conceda acesso a novos aplicativos ou dados geralmente não seja um problema, revogar o acesso a recursos necessários anteriormente é um desafio comum. 

Se as auditorias programadas regularmente não forem realizadas, isso pode levar a uma situação em que os usuários / grupos tenham acesso a aplicativos e dados de que não precisam mais.

Processos eficazes para proteger contra esses tipos de riscos de gerenciamento de identidade e acesso são essenciais 

Isso inclui as proteções necessárias do firewall e do sistema de prevenção de intrusões, bem como a criação de uma política de acesso rígida que limita significativamente quem tem acesso para gerenciar a plataforma. 

O treinamento adequado e a comunicação regular com líderes de negócios / departamentos também são etapas importantes para manter uma plataforma de gerenciamento de identidade e acesso funcionando sem problemas e com processos que garantam que os funcionários recebam o acesso exato de que precisam e nada mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.