Detectamos um golpe de phishing que já roubou 1 milhão de dados; saiba como se proteger

7 Min. de leitura

O time de inteligência de ameaças da ISH Tecnologia detectou o vazamento de quase 1 milhão de senhas, coletadas em um golpe de spear phishing. O vetor inicial de infecção é um e-mail falso de cobrança de grandes operadoras do Brasil. Ao acessar o conteúdo do e-mail, a vítima é direcionada a um PDF malicioso, que instala um trojan voltado a roubo de senhas. O executável realiza injeção de código em processos de navegadores comuns, como Opera, Firefox, Google Chrome e Microsoft Edge. Em seguida, hooks em dlls importantes do navegador-alvo redirecionam o processador para a rotina maliciosa.

Hook
Figura 1: hook

Evolução

O trojan adquire logins e senhas salvas nos navegadores alvo, formata os dados e os insere em um arquivo de texto para exfiltração. Esses dados são encaminhados para um servidor de comando e controle (C2), onde são concentrados em uma lista com as credenciais obtidas de outras máquinas infectadas.

Figura 2: registro em memória

Devido à quantidade de e-mails enviados e ao fato dos atacantes se passarem por diversas operadoras de serviço de abrangência nacional, essa lista concentra um grande número de credenciais tanto para contas particulares como corporativas.

Mesmo sendo recomendada a utilização de versões mais atualizadas de browsers, é importante observar que esse ataque não depende da versão do navegador utilizado, uma vez que não se trata de exploit mas sim de injeção de shellcode em um processo legítimo.

Como maneira de evitar esse tipo de ataque, oriente sua equipe a não utilizar o e-mail corporativo em cadastros de serviços de qualquer natureza. Mensagens inesperadas na caixa corporativa devem ser ignoradas, com especial cuidado com aquelas que trazem links no corpo do texto.

Figura 3: exemplo de e-mail malicioso utilizado pelo trojan

Maneiras de mitigar o ataque

Conscientização; oriente a equipe

Também instrua seus colaboradores a não salvar as credenciais em navegadores, uma vez que elas são facilmente acessíveis por técnicas maliciosas diversas. Como ação complementar, é possível desativar completamente a opção de salvar senhas para Chrome, Firefox e Internet Explorer via GPO.

Desative gerenciadores de senha do Chrome, Edge, Firefox, IE via GPO

Uma boa medida de segurança é a desativação do salvamento de senhas utilizados pelos navegadores de internet. Logo abaixo apresentamos um exemplo de como implementar uma política de grupo (GPO) que desabilite o gerenciador de senhas nativo dos navegadores abaixo. Isso evita que as senhas corporativas sejam salvas nos navegadores, bem como sincronizadas com contas pessoais e estejam disponíveis fora da corporação.

Apresentamos exemplos de aplicação para os navegadores abaixo. Lembrando que a recomendação deve ser adaptada à realidade da instituição por um especialista Microsoft:

  • Edge
  • Internet Explorer (IE)
  • Chrome
  • Firefox

Como desabilitar o gerenciador de senha nativo no Edge via GPO?

Siga os seguintes passos:

1. Faça login em um servidor Windows e abra o Editor de Política de Grupo;

2. Baixe os Modelos de Política do Edge, se ainda não o fez;

3. No Editor de Política de Grupo, crie um novo GPO para Edge – Desabilite PWM;

4. Escolha o escopo desejado;

5. Clique com o botão direito no novo Objeto de Política de Grupo > Editar;

6. No Editor de Gerenciamento de Política de Grupo, vá para Configuração do UsuárioPolíticas > Modelos Administrativos > Microsoft Edge;

7. Defina as seguintes políticas:

  • Desativar a política Ativar Preenchimento Automático para endereços;
  • Desative a política de Ativar Preenchimento Automático para cartões de crédito;
  • Em “Gerenciador de senhas e proteção”, desative a política Ativar salvar senhas no gerenciador de senhas;
  • Opcionalmente, você pode ativar a política Desativar a sincronização de dados usando os serviços de sincronização da Microsoft.

8. Depois de concluídas, as configurações do GPO ficarão assim:

9. Certifique-se de que o link GPO esteja habilitado.

Testando a funcionalidade

No computador do usuário, abra um prompt de comando e digite gpupdate /force que solicitará um logout para concluir as novas configurações. Em seguida, abra o Edge e clique nos três pontos para configurações Configurações > Senhas. Certifique-se de que a opção “Oferecer para salvar senhas” esteja desativada e seja gerenciada pela organização.

Observe que ‘Entrar automaticamente’ ainda está marcado, porque no momento da redação deste guia, não havia configuração de política para desativá-lo.

Importante: observe que quaisquer senhas salvas anteriormente no Edge não serão removidas e continuarão a ser mostradas ao usuário, mesmo com o preenchimento automático do Edge desativado.

Como desabilitar o gerenciador de senha nativo no Internet Explorer (IE) via GPO?

1. Faça login em um servidor Windows e abra o Editor de Política de Grupo;

2. Crie um novo GPO chamado “IE – Desabilite PWM”;

3. Escolha o escopo desejado;

4. Clique com o botão direito no novo Objeto de Política de GrupoEditar;

5. No Editor de Gerenciamento de Política de Grupo, vá para Configuração do UsuárioPolíticas > Modelos Administrativos > Componentes do Windows > Internet Explorer;

6. Defina os seguintes modelos de política:

  • Ative a política Desativar Preenchimento Automático para formulários;
  • Desativar a política Ativar o recurso de preenchimento automático para nomes de usuário e senhas em formulários.

7. Depois de concluídas, as configurações do GPO ficarão assim:

8. Certifique-se de que o link GPO esteja habilitado.

Testando a funcionalidade

No computador do usuário, abra um prompt de comando e digite gpupdate /force que solicitará um logout para concluir as novas configurações. Abra o Internet Explorer e clique no ícone de engrenagem > Opções da Internet > guia Conteúdo > Configurações de preenchimento automático. Veja se as configurações de senha estão esmaecidas.

Como desativar o gerenciador de senha nativo no Chrome via GPO?

1. Baixe os modelos administrativos do Google Chrome aqui;

2. Copie o arquivo ADMX:
DE pasta baixada ‘policy_templates \ windows \ admx \ chrome.admx & google.admx
PARA C: \ Windows \ PolicyDefinitions

3. Copie o arquivo ADML:
DE‘policy_templates \ windows \ admx \ en-us \ chrome.adml & google.adml
PARA C: \ Windows \ PolicyDefinitions \ en-us

4. Em um servidor Windows, abra o Editor de Política de Grupo;

5. Crie um novo GPO chamado “Chrome – Desabilite PWM”;

6. Escolha o escopo desejado;

7. Clique com o botão direito do mouse em Objeto de Política de GrupoEditar;

8. Vá para Configuração do usuárioPolíticas > Modelos administrativos > Google > Google Chrome;

9. Edite as seguintes configurações:

  • Habilite a política de configurações de login do navegador, clique em Opções e selecione Desabilitar login do navegador;
  • Desative a política de Ativar Preenchimento Automático para Endereços;
  • Desative a política de Ativar Preenchimento Automático para cartões de crédito;
  • Em “Gerenciador de Senhas”, desative a política Ativar salvar senhas no gerenciador de senhas;

10. Depois de concluídas, as configurações do GPO ficarão assim:

11. Certifique-se de que o link GPO esteja habilitado.

Testando a funcionalidade

No computador do usuário, abra um prompt de comando e digite gpupdate /force que solicitará um logout para concluir as novas configurações. Abra o Chrome e clique no ícone do perfil no canto superior direito. Veja se o usuário não está conectado.

Abra o Chrome, clique nos três pontos   > Configurações > Senhas . Veja se a oferta para salvar senhas  está desmarcada e gerenciada pela organização.

Como desabilitar o gerenciador de senha nativo no Firefox via GPO

1. Faça login em um servidor Windows que você usa para gerenciar suas Políticas de Grupo;

2. Baixe o arquivo .zip de modelos de política do Firefox mais recente aqui;

3. Copie o ADMX arquivo:
DE pasta baixada ‘policy_templates_v1 ## \ windows \ firefox.admx & mozilla.admx.
PARA C: \ Windows \ PolicyDefinitions

4. Copie o arquivo ADML:
DE‘policy_templates \ windows \ en-us \ firefox.adml & mozilla.adml
PARA C: \ Windows \ PolicyDefinitions \ en-us

5. Abra o Editor de Política de Grupo;

6. Crie um novo GPO chamado “Firefox – Desativar PWM”;

7. Escolha o escopo desejado;

8. Clique com o botão direito na nova política de grupoEditar;

9. Abra Configuração do usuárioPolíticas > Modelos administrativos > Mozilla > Firefox;

10. Edite as seguintes políticas:

  • Desativar a política Desativar contas do Firefox
  • Desabilite a política Ofereça para salvar logins
  • Desative a política Oferecer para salvar logins (padrão)
  • Desative a política do Gerenciador de Senhas

11. Depois de concluídas, as configurações do GPO ficarão assim:

12. Certifique-se de que o link GPO esteja habilitado.

Testando a funcionalidade

Faça login como um usuário que faz parte do escopo, abra a linha de comando e execute gpupdate / force. Abra o Firefox e selecione Logins e senhas na barra de menu.

Certifique-se de que a mensagem “Página bloqueada” seja exibida.

Recomendações Finais

Por fim, mantenha-se atento a domínios e endereços IP suspeitos em logs de ferramentas como Firewall e Filtro Web, visto que esse ataque utiliza processos legítimos para alcançar o servidor de comando (command & control), não sendo suficiente inspecionar apenas o tráfego de aplicações que você julgar suspeitas.

Políticas de uso consciente dos ativos da corporação bem como a monitoração de uso de recursos corporativos bem como manter referências a estas ações na Política de Segurança da Informação são formas com eficácia abrangente em casos semelhantes a este.

Limitar os acessos administrativos somente a equipes especializadas deve ser uma prática dos administradores de rede e esquipes de segurança cibernética.

Implementação de soluções de análise de comportamento (UEBA – User and Entity Behavior Analytics) podem compor a suas soluções de segurança com resultados importantes, analisando comportamentos anômalos em seu ambiente.

Por André Phanebecker, Alexandre Siviero e Paulo Trindade

Compartilhar
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email