Assumir que o provedor de nuvem também está garantindo proteção é um erro

2 Min. de leitura

Existem muitas razões pelas quais as empresas estão usando plataformas em nuvem. A terceirização para a nuvem adiciona escalabilidade, eficiência e confiabilidade, ao mesmo tempo em que reduz cargas de trabalho para as equipes de TI.

Porém, há um ponto preocupante sendo ignorado.

Empresas que movem a infraestrutura crítica para plataformas em nuvem muitas vezes assumem que seus provedores também são seguros. Que a proteção faz parte do pacote. Porém, em boa parte das vezes, isso não é verdade. Além disso, não é em todas as empresas que o time interno de tecnologia configura controles críticos e adota as práticas de arquitetura de segurança necessárias na plataforma de nuvem. O que também deixa lacunas que os invasores podem explorar.

Muitos dos riscos com que as organizações têm que lidar quando estão trabalhando para impedir que criminosos digitais invadam o ambiente corporativo, também existem na nuvem. Estamos falando de senhas fracas, segmentação inadequada ou regras de firewall permissivas. E há sempre novos riscos a serem levados em consideração, como a exposição de chaves de API em repositórios de origem ou diretórios web abertos.

Tudo isso deve ser monitorado, mas o que nem sempre as empresas sabem é que as configurações padrão para plataformas de nuvem muitas vezes não são seguras. Não incluem criptografia, retenção de dados, autenticação multifatorial e outros controles preventivos.

Contudo, há um caminho mais fácil, que fecharia todas as brechas em relação à proteção. Plataformas de nuvem desenvolvidas sob o olhar criterioso da segurança cibernética, criadas com um DNA de proteção. Para que seja escalável, de alto desempenho, mas também originalmente segura.

Qual a vantagem de uma nuvem desenvolvida com DNA de segurança?

Todas as empresas que usam uma nuvem segura contam nativamente com proteção rápida e inteligente. As organizações querem chegar aos seus dados com o mínimo de tempo de inatividade e sem lacunas nas informações necessárias para proteger os negócios, as experiências de clientes e a marca. Boas soluções para suporte aos negócios precisam oferecer proteção, integridade, performance e disponibilidade. A tecnologia tem que ser simples, para que a empresa tenha acesso aos dados e sistemas de maneira segura e controlada, sempre. Assim, em uma necessidade de rotina, como recuperação de um arquivo, ou em uma mais complexa, como a ativação de uma recuperação de desastre, as informações serão recuperadas de acordo com o tempo do ambiente indisponível (RTO) e o intervalo de tempo do último backup até os serviços serem interrompidos (RPO), conforme a realidade do negócio.

A proteção precisa acompanhar a velocidade dos negócios

A recuperação de dados deve ser simplificada, tempestivamente se necessário. Na ISH, a plataforma de backup opera via internet e garante ao cliente redundância geográfica para o armazenamento das informações protegidas. O serviço de recuperação de desastres também descomplica o processo de recuperação do ambiente da empresa, para que não haja interrupção nos negócios. A solução permite ainda o acionamento completo ou parcial de planos de recuperação.

Fale com o nosso time e descubra como podemos ajudar a sua empresa.

 

Por Hugo de Souza Santos

Compartilhar
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email